Connect with us

CAJAZEIRAS E REGIÃO

Superlotação põe em risco grávidas e bebês na maternidade de Cajazeiras

Published

on

Funcionários e pacientes estão com medo de contaminação da Covid-19 na unidade.

Quem precisa de atendimento na Maternidade Albert Sabin, em Cajazeiras, reclama da demora para ser atendido e da superlotação na unidade. Segundo familiares das gestantes, as grávidas aguardam por muito tempo em cadeiras e até em pé nas instalações da maternidade.

Além disso, os familiares relatam superlotação na unidade, as mulheres em pós-parto e bebês recém-nascidos ficam em macas e berços nos corredores.

Funcionários denunciam, o crescente número de profissionais infectados por covid-19. Atualmente, há, pelo menos, 10 trabalhadores afastados por causa da doença, entre eles, a diretora do hospital, que está internada em estado grave na uti do hospital português. os funcionários pedem, ainda, a realização de testes pois muitos já tiveram contato não só com colegas, mas também com pacientes infectados.

O QUE DIZ A SECRETARIA ESTADUAL DA SAÚDE
A direção da Maternidade Albert Sabin esclarece que encontra-se com todos os seus leitos ocupados. Em virtude da covid-19 foram feitos ajustes em relação ao atendimento das pacientes a fim de respeitar o distanciamento adequado, sobretudo, na recepção da emergência.

Além disso, a todas as pacientes, assim que procuram atendimento na emergência, é ofertada a máscara cirúrgica e orientada quanto à higiene das mãos, com água e sabão ou álcool em gel. Em abril de 2020, a albert sabin realizou 555 partos, atendendo a uma população das áreas de cajazeiras, pau da lima e itapuã.

A direção informa que está trabalhando com equipe completa e, no momento, há espera por leitos de alojamento conjunto (mãe e filho). Não há pacientes internadas com o diagnóstico positivo de corona vírus.

Faça um comentário

Publicidade:

Advertisement

politica

Cajazeiras e Região

error: Copyright © - Grupo Fala Cajazeiras ®