Connect with us

POLÍTICA

APLB-Sindicato pede ajuda da Câmara para atender reivindicações da categoria

Published

on

O presidente da Câmara, vereador Geraldo Júnior (SD), recebeu uma comissão de dirigentes da APLB-Sindicato, na manhã desta terça-feira (1º), para tratar questões da categoria. No encontro solicitado pela vereadora Aladilce Souza (PCdoB), os sindicalistas pediram para o Legislativo Municipal intermediar junto ao prefeito ACM Neto para que os pleitos sejam atendidos, como o reajuste salarial.

Diante do indicativo de greve na rede municipal de ensino, já que a categoria fará uma assembleia na manhã desta quarta-feira (2), o presidente Geraldo Júnior disse que vai levar a questão para o prefeito. “A vereadora Aladilce pediu essa reunião emergencial e como a pauta é muito importante para a cidade vamos buscar um entendimento”, afirmou Geraldo Júnior.

“O presidente abriu a sua agenda, agora no final da manhã, pois a questão é emergencial. Nós esperamos que esta intermediação da Câmara, de uma comissão suprapartidária, sensibilize o prefeito para que ele atenda às reivindicações da categoria. Os professores estão desde maio (data base) esperando o reajuste e uma expectativa foi criada. É preciso que o prefeito cumpra a lei e dê o reajuste”, defendeu Aladilce.

Segundo Elza Melo, diretora da APLB-Sindicato, a categoria fez uma assembleia em 23 de março e apresentou ao Executivo Municipal uma pauta de reivindicações, como o reajuste salarial de 9,43%. “Até o momento, o Executivo não apresentou nenhuma proposta de reajuste”, lamentou.

Ela acrescentou que “a categoria aguardou pacientemente o resultado financeiro do segundo quadrimestre e até agora nenhuma resposta foi dada”. Disse ainda que, “para surpresa e indignação da categoria, houve corte dos salários dos professores por conta do não preenchimento do Sistema de Monitoramento de Aprendizagem, que são formulários e mais formulários que os professores preenchem e que afetam o tempo pedagógico do aluno. Não existe base legal para o secretário (Bruno Barral) cortar os salários dos professores”.

Também participaram da reunião os diretores da APLB-Sindicado Flávia Souza e Marcos Barreto.

Faça um comentário

Publicidade:

Advertisement

politica

Cajazeiras e Região