Connect with us

ENTRETENIMENTO

Cadastramento de ambulantes para Fuzuê e Furdunço será nesta terça (5)

Published

on

A Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Ordem Pública (Semop), informa que o cadastramento de ambulantes que desejam trabalhar no Fuzuê e Furdunço será realizado nesta terça-feira (5), através do site do Sistema de Credenciamento de Ambulantes  (www. sca. salvador. ba. gov. br), entre 12h de amanhã e 23h59 de quarta-feira (6). Serão disponibilizadas 500 vagas no total.

Para as duas festas, que ocorrem nos dias 23 e 24 de fevereiro, não haverá entrega de isopor pelo patrocinador, mas valerá a regra de restrição da marca, que é a Ambev. A instalação dos equipamentos deverá ser feita no mesmo dia do evento e a desmontagem no dia seguinte, 25 de fevereiro.

Os valores da licença variam entre R$ 25,06 para tabuleiros e R$ 451,13 para food trucks acima de 10 metros de comprimento. Após o cadastro e pagamento do Documento de Arrecadação Municipal (DAM), que será emitido pelo site, o ambulante deverá comparecer na sede da Semop, localizada na Av. Cardeal Dom Avelar Brandão Vilela, nº 2562, Mata Escura, com RG e o DAM pago, das 9h às 12h, para efetivar o cadastro.

Proibições – Não será permitida a comercialização de produtos em carros de mão, carros-prancha, fogareiros, caixotes, churrasqueiras, nem bebidas pré-preparadas artesanalmente. Também é proibido o uso de embalagens reaproveitadas, de louças, alumínio ou de vidro, que devem ser substituídas por descartáveis.

Todo material irregular será apreendido pelas equipes de fiscalização e serão encaminhados para o Setor de Guarda de Bens Apreendidos (Segub), situado na Av. San Martin, na sede da Guarda Civil Municipal (GCM). Para recuperar o material, o permissionário deverá comparecer à Segub depois do encerramento da referida festa, munido de documento de identidade, auto ou lacre de apreensão, mediante pagamento de multas, que vão de R$ 74,05 a R$ 145,98.

Faça um comentário

O maior Portal de Notícias e Entretenimento de Cajazeiras e região. O que você gostaria de saber "A gente mostra todo mundo vê"

CAJAZEIRAS E REGIÃO

Sarau de Itapuã recebe a 6ª Mostra de Guitarra Baiana

Published

on

A Casa da Música, espaço cultural administrado pela Secretaria da Cultura do Estado da Bahia (Secult), recebe na próxima segunda-feira (18), a partir das 18h, a 6a Mostra de Guitarra Baiana. No palco, os guitarristas Julio Caldas, Márcio de Oliveira e Renatinho do Tapajós apresentam gêneros típicos do instrumento, como os frevos carnavalescos e choro, além de rock e temas autorais que expressam a recente produção, os expoentes e os novos caminhos sonoros da guitarrinha. A Mostra integra a programação do Sarau de Itapuã que, neste mês de fevereiro, chega à edição de número 278. A entrada é gratuita.

A Guitarra Baiana deu origem ao Carnaval da Bahia como é mundialmente conhecido hoje. Até o início dos anos 1980, o instrumento, que é um misto de cavaquinho afinado como bandolim, era considerado a voz do Trio Elétrico, fazendo as melodias e embalando os foliões. Para ressignificar, valorizar e promover o fomento artístico da Guitarra Baiana, o músico Julio Caldas criou, em 2009, a Mostra de Guitarra Baiana. Nas últimas cinco edições já recebeu guitarristas consagrados, como Marcos Stress, Tathi Alves, Ricardo Marques, Eliel Nunes, Lucio Ferraz, Morotó Slim, Mike Caldas, Parah Monteiro, além dos mestres Luiz Caldas e Aroldo Macedo e do carioca Marcos Molleta.

Sobre os músicos 

Renatinho do Tapajós é compositor de clássicos, como “Às 25 Em Ponto” e “Levianato”; Julio Caldas é idealizador e diretor musical do projeto; e Márcio de Oliveira vem promovendo a difusão do som da Guitarra Baiana e do Bandolim no interior da Bahia, a partir do Clube de Choro de Santo Antonio de Jesus. Durante o show, estes serão acompanhados por Paulinho Caldas, na bateria e no baixo, Fábio Batanj, que além de músico é luthier da nova geração da guitarra baiana.

Faça um comentário
Continue Reading

ENTRETENIMENTO

Licenciamento de balcões e depósitos para Carnaval inicia nesta quarta (6)

Published

on

A Secretaria Municipal Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) inicia, nesta quarta-feira (6), o licenciamento de bares, balcões e depósitos de bebidas que vão funcionar nos circuitos oficiais do Carnaval 2019. Os interessados podem comparecer à sede da Sedur, localizada na Avenida ACM, Edifício Empresarial Thomé de Souza, térreo, de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. O processo de licenciamento termina no dia 28 de fevereiro.

Para que o licenciamento seja feito, os interessados devem apresentar os seguintes documentos: RG e CPF do responsável legal e também de terceiros que procedam ao licenciamento, por meio de procuração; autorização e cópia do RG do proprietário do imóvel; foto da localização; metragem linear do balcão; e comprovante de pagamento da taxa. Além disso, é necessário apresentar também a autorização da Vigilância Sanitária.

Todos os bares e balcões que vão funcionar nos circuitos do Carnaval, sem exceção, necessitam do alvará. Quem for retirar a licença deve aguardar a análise dos documentos e a vistoria da área pelos técnicos da Sedur, para que seja certificada a viabilidade do projeto e liberada a concessão.

Faça um comentário
Continue Reading

ENTRETENIMENTO

Confira a programação da festa do Rio Vermelho neste sábado (02)

Published

on

Uma das maiores festas religiosas de Salvador, presente no calendário de eventos da cidade, a Festa de Iemanjá, em saudação à Rainha do Mar, será realizada neste sábado (02). A programação já começa na véspera, às 7h da sexta-feira (1°), com a abertura do Caramanchão, local onde são colocados os presentes, ao lado da Colônia de Pescadores Z1, próximo ao Largo de Santana.

No sábado, antes das homenagens à Iemanjá, devotos saúdam Oxum, orixá das águas doces, às 2h30, no Dique do Tororó. Às 5h, uma alvorada de fogos de artifício marca a chegada do presente principal ao Rio Vermelho. Durante todo o dia, uma enorme fila se forma para a entrega dos presentes.

À tarde, bares e estabelecimentos situados no perímetro da festa promovem eventos e oferecem pratos diversos, principalmente a tradicional feijoada. A procissão para a entrega do presente no mar (que é mantido em segredo pela colônia de pescadores) e dos cerca de 600 balaios com oferendas depositadas pelos devotos e admiradores será às 15h30.

O encerramento da festa ocorre às 18h, mas a parte profana segue durante a noite, até as 22h. O dia ainda é marcado por diversas manifestações culturais, como rodas de capoeira, samba de roda e grupos de bairro.

Proibições – Os festejos em homenagem à rainha do mar têm o apoio da Prefeitura na programação cultural e na oferta de serviços municipais. Das 20h de sexta (01) às 22h de sábado (02), 35 agentes da Secretaria de Desenvolvimento e Urbanismo (Sedur) atuarão na fiscalização do evento.

Durante a festa, não será permitido nenhum tipo de faixa, placa, banner ou balão alusivos a marcas ou a políticos, no trecho que vai do Largo da Mariquita à praia da Paciência. Só são permitidas manifestações sociais, culturais ou artísticas, desde que não sejam afixadas em postes ou em qualquer outro imobiliário urbano.

História – A festa em homenagem à Iemanjá teve início em 1923, quando um grupo de 25 pescadores resolveu oferecer presentes à mãe das águas. Nesta época, os peixes estavam escassos no mar. Desde então, todos os anos os pescadores pedem a Iemanjá que lhes dê fartura de peixes e um mar tranquilo.

Conta a tradição dos povos iorubás que Iemanjá era a filha de Olokum, deus do mar. Ele a teria dado uma garrafa e recomendado que só abrisse em caso de necessidade. Um dia, em fuga de Okerê, o marido que a ofendeu, ela tropeçou na garrafa, que se quebrou, fazendo surgir um rio de águas tumultuadas que levou Iemanjá ao oceano. Desde então, a rainha das águas não voltou mais para a terra.

Uma série de superstições rondam a celebração. Por exemplo, se o presente for encontrado na beira da praia é porque a divindade não gostou da oferta. Todos os anos, é preparado um presente principal pelos pescadores, que só é revelado no dia das homenagens.

Sustentabilidade – Campanhas de conscientização têm sido realizadas para a preservação do meio ambiente. Uma das correntes defende a não utilização de qualquer material para render homenagens à entidade no mar. Já para quem deseja manter a tradição, a recomendação é de que as pessoas adotem presentes biodegradáveis, como uma forma também de preservar o meio ambiente – exemplos disso são flores naturais e despejo do perfume, sem jogar o frasco no mar.

 

Faça um comentário
Continue Reading

publicidade

Advertisement

politica

segurança

BORA, BAHÊA!

PRA CIMA DELES LEÃO

Cajazeiras e Região