Connect with us
 

E.C. VITÓRIA

Fábio Mota desafia: “Torcida precisa se associar para ajudar a resgatar o Vitória

Published

on

Foto: Ascom/ECV

Ao completar 30 dias como presidente em exercício do Conselho Diretor do Vitória, Fábio Rios Mota, concedeu coletiva na sala de imprensa Jornalista João Borges Bougê, na manhã desta sexta-feira (3), e lançou um desafio à torcida: o clube ter 15 mil sócios.

“A torcida no fim da Série B abraçou o Vitória, mostrou que quando ela é bem tratada, valorizada, ela é o nosso maior patrimônio. Nós precisamos, e fica aqui o desafio,  ter 15 mil sócios no clube. Hoje, o sócio que nós temos nos dá uma receita pequena. Só para ter uma ideia: para a gente ter uma folha de R$600 mil,  precisa ter 15 mil sócios. Evidente que temos outras ações com patrocinadores para nos ajudar. Mas nesse o momento o maior ativo que o Vitória tem é a nossa torcida. Que precisa se associar e resgatar o Vitória desse local que não deveria estar mas que, infelizmente, está nesse momento”, disse Fábio Mota ao iniciar a coletiva.

Fábio Mota lamentou as demissões feitas pelo clube, necessárias por causa da redução da receita com a queda para a Série C do Campeonato Brasileiro.

“A realidade nos faz fazer algumas alterações. Nós precisamos adequar o clube, infelizmente, à situação que ele está hoje. Nós perdemos receitas financeiras e é por isso que montamos um plano de ação de medidas administrativas de contenção de gastos. Nós precisamos cortar 50% das despesas do clube e o que a gente está fazendo, tanto na área pessoal como em outros áreas do clube”, continuou.

Durante a entrevista, Fábio Mota revelou que até o dia 17 de dezembro – nessa data a Confederação Brasileira de Futebol entra em recesso – pretende anunciar contratações que estão bem encaminhadas e garante que para o início do Campeonato Baiano, a primeira competição em 2022, quer apresentar uma equipe competitiva mesclando os atletas revelados na base com jogadores experientes.

Disse, também, que a questão de divisão de formação do clube é a prioridade máxima. “Sabemos que é o elemento que vai nos ajudar a sair dessa crise. Para que você possa continuar investindo na base, tem que fazer outros tipos de ajustes na estrutura do clube. A estrutura do clube hoje é muito cara, custa cerca de R$ 3,5 milhões”, revelou.

Equacionar o débito com o atacante argentino Walter Bou – 200 mil dólares – e o clube argentino Boca Juniors – cerca de 300 mil dólares – é uma ação também emergencial. O jurídico do clube já se movimenta para parcelar os débitos porque se isso não ocorrer o Vitória está impedido nas três próximas janelas de fazer contratações.

O presidente em exercício adiantou que é intenção renovar o contrato do atacante Dinei, que sofreu cirurgia de LCA (ligamento cruzado anterior). O jogador tem vínculo com o clube até dezembro deste ano.

Faça um comentário

O maior Portal de Notícias e Entretenimento de Cajazeiras e região. O que você gostaria de saber "A gente mostra todo mundo vê"

Advertisement