Connect with us

EDUCAÇÃO

Prefeitura e APLB não entram em acordo e impasse sobre retorno às aulas continua

Published

on

Foto: Reprodução Internet

Parceria

Em reunião realizada nesta quarta-feira, 28, entre a Associação dos Professores Licenciados do Brasil – Secção da Bahia (APLB-BA) e a prefeitura de Salvador, o acordo para o retorno às aulas presenciais não foi firmado. O retorno dos professores às aulas presenciais está programado para a próxima segunda-feira, 03, conforme anunciado pelo prefeito Bruno Reis na última sexta-feira, 23.

Por meio de nota, a prefeitura de Salvador informou que já aplicou a primeira dose da vacina contra a Covid-19 em mais de 20 mil trabalhadores da educação na rede pública – estado e município. E que, com isso, restam apenas cerca de 1,3 mil professores que ainda serão imunizados, estes nas faixas etárias de 20 e 30 anos.

“Somos a única capital que está vacinando quase todos os trabalhadores da educação, mais de 80%. Já concluímos a imunização dos idosos, lideramos todos os rankings de vacinação no país.  Com esse cenário, com mais de 27% da população da cidade imunizada, temos segurança para retornar”, afirma o prefeito Bruno Reis.

Mas, de acordo com o presidente da APLB-BA, Rui Oliveira, a retomada das aulas na forma presencial ficará suspensa até que todos os profissionais da educação sejam vacinados. “ Nos dias 3, 4 e 5 de maio, os professores irão trabalhar apenas de forma remota. Na próxima quarta-feira, 05, faremos uma nova reunião com a prefeitura para tentar chegar a um acordo”, comunicou o presidente.

Segundo a prefeitura, a rede municipal já apresentou protocolos consistentes para o retorno, as escolas estão preparadas para receber os estudantes. “Precisamos retomar as aulas presenciais. Temos compromisso com nossos alunos, em sua maioria crianças. Se concordarmos com a posição do sindicato, de só voltar às aulas presenciais após a imunização de TODOS os professores, só vamos voltar pra sala de aula no final do ano, e olhe lá!… Corremos o risco de comprometer quatro anos letivos. É um prejuízo irreparável para a educação.”, diz o Secretário Municipal da Educação, Marcelo Oliveira.

No último sábado, 24, o prefeito Bruno Reis anunciou a imunização de professores com 40 anos ou mais da educação infantil até o ensino médio.

Faça um comentário
Advertisement

publicidade

Advertisement

politica

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

error: Copyright © - Grupo Fala Cajazeiras ®