Connect with us

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Consumidor pode ser ressarcido por gastos com falta d’água

Primeiro passo é procurar a ouvidoria da Embasa

Os consumidores que se sentirem prejudicados pelo racionamento da Embasa, anunciado nesta quarta-feira (16), ou pela má qualidade da água precisam entrar em contato, primeiro, com a ouvidoria da empresa, a orientação é da Superintendência de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-BA).

De acordo com a diretora de Atendimento do órgão, Adriana Menezes, caso a resposta não seja satisfatória, ele pode procurar o Procon. “É importante que ele anote o número do protocolo, o horário de atendimento e o nome do atendente”, explicou.

Já o diretor de Fiscalização do Procon, Iratan Vilas Boas, disse que, nesse caso, o órgão pode fazer uma ação coletiva para cobrar esclarecimentos da Embasa. “Notificamos a empresa e ela tem 10 dias para responder. Dependendo da resposta, ela pode ser autuada”, contou.

A Embasa informou que desde terça-feira (15) reduziu a vazão para 78 localidades de Salvador e outras oito cidades da Região Metropolitana. O motivo foram problemas relatados por alguns consumidores que apresentaram ardência nos olhos ou coceira na pele depois de entrar em contato com a água.

A Agência Reguladora de Saneamento Básico do Estado da Bahia (Agersa) afirmou que foi informada pela Embasa sobre o problema. A concessionária explicou para a Agersa que precisou aumentar a dose dos produtos químicos utilizados no tratamento para assegurar a desinfecção da água ofertada à população, e que isso foi necessário, sobretudo para redução de cor e turbidez.

A Agersa disse que faz o monitoramento dos resultados e exige da prestadora que siga as recomendações exigidas. Nos casos em que são identificadas irregularidades, as empresas são orientadas a corrigirem o problema ou, dependendo da situação, apresentar uma solução alternativa de abastecimento.

Direitos
Quem apresentar problemas de saúde por conta da qualidade da água pode procurar um médico especialista e fazer os exames necessários. É preciso guardar todos os comprovantes.

Segundo o advogado Lucas Cardoso, especialista em direito do consumidor, se a relação for comprovada, essas pessoas têm direito a ressarcimento pelos exames e eventuais medicamentos. Ele explica que, por conta do racionamento de água anunciado pela Embasa, o consumidor tem direito a um abatimento na conta, em valor proporcional ao período do problema.

“E tem o dano moral pelo abalo da dignidade, ainda mais que o fornecimento de água é considerado um serviço essencial”, explica. O consumidor ainda pode pedir ressarcimento por compra de água mineral para usar no banho, por exemplo.

Procurado, o Ministério Público informou que o caso está sendo acompanhado pela Promotoria de Defesa do Consumidor do órgão.

A Vigilância Ambiental é responsável pela fiscalização da qualidade da água em Salvador, por isso, caso o morador identifique problemas na qualidade deve acionar o órgão através do 156.

Já a Agersa informou se o problema não for solucionado pela Embasa no prazo estipulado, ou o consumidor não fique satisfeito com a resposta da concessionária, poderá ligar para registrar reclamação na ouvidoria da agência pelo 0800 753 226. É preciso ter o número do protocolo da atendimento na Embasa.

informações do Correio*

Faça um comentário

O maior Portal de Notícias e Entretenimento de Cajazeiras e região. O que você gostaria de saber "A gente mostra todo mundo vê"

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Carro capota, bate em moto e deixa homem ferido na Avenida Paralela

Um motociclista ficou ferido após ser atingido por um carro que capotou na Avenida Paralela, em Salvador, neste domingo (21). O trânsito ficou intenso na região.

Conforme a Transalvador, o acidente ocorreu no sentido aeroporto, nas proximidades do bairro de Pituaçu, por volta das 14h. Ainda não há detalhes sobre o que provocou a batida, nem se algum ocupante do carro ficou ferido.

Além da Transalvador, que foi para o local administrar o trânsito, o Serviço de Atendimento de Urgência (Samu) foi acionado para prestar atendimento para a motociclista. Não há informações sobre o estado de saúde dele.

informações do G1

Faça um comentário
Continue Reading

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Menino de 14 anos morre após receber injeção na UPA

Na noite de terça-feira (16), Edson Junior, de 14 anos, morreu após receber uma injeção em uma Unidade de Pronto Atendimento de Irecê (UPA). O pai Edson F. Silva e sua esposa Irá levaram seu filho para a unidade de saúde. Por ser portador de anemia falciforme, o menino vinha sentindo dores, comuns durante as crises provocadas pela doença. Dessa vez, Junior reclamava de fortes dores no quadril.

Abaixo, o áudio de parte da entrevista do pastor Edson Silva à rádio Lider FM (foto), durante o “Jornal do Meio Dia” de hoje. É emocionante – e revoltante..

Após a mãe alertar sobre o uso de sobre medicamentos não podiam ser utilizados, Edson foi atendido e medicado. Os pais do menino ficaram esperando a sua liberação, porém, o médico que atendia a vítima disse que ele iria precisar de mais cuidados e que Junior seria encaminhado para o Hospital Regional de Irecê.

De acordo com informações do pai, um enfermeiro foi até o leito onde estava o filho e aplicou uma injeção. Após o ocorrido, Edson contou que viu o filho agitar-se, ficar vermelho e começou a implorar ajuda a ele. Mas ele não resistiu.

O CREMEB/Irecê está acompanhando o caso. A Polícia Civil abriu inquérito, o prazo com um prazo de 30 dias para conclusão.

Faça um comentário
Continue Reading

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Caminhoneiros se mobilizam em grupos de WhatsApp por paralisação na segunda (22)

Quase 2 mil caminhoneiros estão em, no mínimo, 15 novos grupos do WhatsApp recém-criados para discutir uma possível paralisação da categoria na segunda (22). Eles estão contrariados com a resolução da ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) que estipulou a nova tabela de preços mínimos do frete rodoviário, divulgada na quinta (18), com valores abaixo dos esperados.

A realização da paralisação não é consenso entre os participantes. Parte dos grupos é refratária à ideia por conta da dificuldade financeira que teriam com os dias sem trabalhar. Os administradores dos novos grupos negam ser articuladores do movimento, ao mesmo tempo em que algumas lideranças que tomaram a dianteira durante a paralisação de 2018 não estão em nenhum deles.

O nome dos grupos segue sempre o mesmo formato, com o título formado por paralisação, a data de 22/07 e a abreviação do nome de um estado. Apesar serem vinculados a um estado, a maior parte deles é formada por pessoas de regiões diferentes da indicada. Eles trazem em suas descrições o mesmo texto: “Publicações fora do contexto das pautas dos caminhoneiros não serão aceitas. FOCO NA MISSÃO!”

Nesses grupos, há desde convocações para greve, com críticas ao presidente Jair Bolsonaro, por vezes chamado de traidor, até alguns vídeos cômicos e imagens eróticas. Os caminhoneiros emitem suas opiniões também em áudio ou vídeos nos quais discursam enquanto são filmados pela câmera frontal de seu telefone.
Foram disparados avisos sobre o risco de uma ação de contra-inteligência estar sendo realizada dentro dos grupos, com membros do governo se passando por caminhoneiros.

Parte dos trabalhadores se diz intervencionista, defendendo um regime militar. A rotatividade dos grupos é alta. São muitos os avisos de pessoas que entraram usando um link compartilhado por outra pessoa no WhatsApp e outros de pessoas que decidiram sair. Também circulam ali convites para entrar em grupos do gênero, de estados diferentes.

A reportagem localizou queixas de caminhoneiros em relação à falta de liderança dos grupos, o que dificultaria a paralisação de segunda. Há administradores em comum entre eles. Porém, quando contatados, eles disseram não ser líderes e se negaram a dizer se havia uma liderança que articulasse a criação dos grupos.

A reportagem foi expulsa de dois deles por um desses administradores após procurá-lo em particular pelo WhatsApp para pedir informações. Outra administradora que trocou mensagens com a reportagem disse que não poderia dizer nada, pois não falava em nome dos caminhoneiros. Segundo ela, o movimento começou simultaneamente em vários locais.

Wanderlei Alvez, o Dedeco, um dos articuladores da paralisação de 2018, diz que não participa dos novos grupos e já foi retirado de alguns deles por seus organizadores. Ele afirma acreditar que os grupos da paralisação de segunda não foram criados por caminhoneiros, pois, segundo ele, a categoria o trata com respeito.

Dedeco diz que o principal problema da classe é justamente a falta de liderança e cobra maior protagonismo da CNTA (Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos) para defender o interesse dos caminhoneiros junto ao governo.

O ministro de Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, deve se reunir com representantes de caminhoneiros e outras entidades afetadas pela nova tabela de fretes na próxima semana. A data ainda não foi confirmada.
Sobre a reunião, uma das mensagens compartilhadas seguidamente pelo WhatsApp dizia que os caminhoneiros não arredariam pé e, caso o ministro quisesse fazer reunião, teria de fazer na pista.

A nova tabela de fretes foi elaborada pela Esalq-Log, da USP, e a próxima revisão oficial está prevista para o início de 2020.

 

informações do BNews

Faça um comentário
Continue Reading

Publicidade:

Anúncio
Advertisement

politica

BORA, BAHÊA!

PRA CIMA DELES LEÃO

Cajazeiras e Região