Connect with us

SAÚDE

Mesmo com anúncio de 90 novos leitos de UTI na capital, risco de colapso é iminente

Published

on

Foto: Mateus Pereira/GOVBa

Com 83% de ocupação nas UTIs para pacientes adultos com Covid-19 em Salvador, pelo menos mais 90 leitos de Unidade de Terapia Intensiva serão abertos nos próximos dias na capital. Inicialmente, serão 50 leitos de UTI no hospital de campanha da Arena Fonte Nova, ainda a ser reativado, e 40 no Hospital Salvador.

Ainda assim, o risco de colapso do sistema de saúde é “iminente”, reforçou na sexta-feira, 26, o prefeito Bruno Reis. Segundo ele, há chances da taxa de ocupação dos leitos de UTI atingir 100% quando forem transferidos para hospitais pacientes que aguardam em Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

“Esses [novos] leitos aumentam nossa margem de manobra, mas não vão tirar a prefeitura, o governo e a rede privada do risco iminente de colapso”, declarou o gestor municipal, ao anunciar a abertura de 160 leitos para Covid-19 no Hospital Salvador. Serão 40 leitos de UTI e 120 de enfermaria, segundo o gestor. “Esse é o nosso quarto hospital de campanha exclusivo para Covid”, afirmou o prefeito.

Nas últimas 24 horas, foram regulados 72 pacientes diagnosticados com Covid-19, informou o chefe do Executivo municipal. No entanto, outros 75 pacientes ainda aguardavam na sexta nas UPAs uma transferência para hospitais, segundo o prefeito. Desses 75 pacientes, 30 esperavam vagas em leitos de UTI.

O governador Rui Costa anunciou que as Obras Sociais Irmã Dulce (Osid) serão responsáveis pela gestão do hospital de campanha da Fonte Nova, onde funcionarão inicialmente 50 leitos de UTI e 30 clínicos.

Progressivamente, serão instalados no local até 200 leitos, dos quais 100 de Terapia Intensiva e 100 clínicos, segundo edital da Secretaria da Saúde do Estado (Sesab)

O governo não apresentou uma data para a reativação do hospital de campanha, mas disse que ocorrerá “nos próximos dias”. “Ontem [quinta-feira] fiz apelo às Obras Sociais Irmã Dulce. Hoje [sexta], pela manhã, estiveram na Arena, também se reuniram com a Secretaria da Saúde e aceitaram assumir a gestão”, declarou o governador Rui Costa. “Estamos com os equipamentos já instalados, temos insumos no estoque, mas não podemos abrir sem fechar as escalas das equipes”, acrescentou.

Bruno afirmou que o atual número de leitos da prefeitura já supera o máximo instalado em 2020. “Na primeira onda, tivemos 228 leitos. Nesse momento, já temos 226 leitos e mais 10 leitos numa tenda montada na UPA de Valéria. Já são 236 leitos de UTI, tão escassos e preciosos nesse momento”, disse.

Governador e prefeito reiteraram as dificuldades encontradas para ampliação da rede de atendimento aos pacientes com Covid-19. Segundo os gestores, já faltam, por exemplo, profissionais de Saúde para a formação de equipes.

“A prefeitura está fazendo mais do que o possível, mas temos limitação de respiradores. Chegaram 30 essa semana e mais 25 estão sendo encaminhados. Da mesma forma, já começa a ter dificuldade em montar as equipes. Não adianta só o esforço da prefeitura se não houver um esforço conjunto dos cidadãos para evitar aglomerações, usar máscaras e respeitar as medidas”, afirmou o prefeito.

Após publicar na última terça-feira, 23, um aviso para contratação de empresa para administrar o hospital de campanha da Fonte Nova, o governador relatou dificuldades em encontrar organizações sociais para gerir o hospital. Rui disse que as organizações apontavam problemas para a formação de equipes de profissionais.

“Nos comprometemos a fazer uma grande mobilização com eles para a contratação de pessoal. A grande dificuldade hoje em dia é montar equipe para fechar escalas de sete dias, 24 horas por dia. Está sendo difícil e por isso muitos relutaram em aceitar. Quero agradecer às Obras Sociais Irmã Dulce que se dispuseram nesse momento tão difícil para a Bahia, como nossa Santa Dulce sempre fez, a estender a mão ao povo baiano”, declarou o chefe do Palácio de Ondina.

Por causa do problema com pessoal, o governador chegou a dizer que cogitava acionar a Justiça em busca de autorização para trazer profissionais de Saúde de outros estados e, eventualmente, até mesmo de outros países.

Na última quarta-feira, 24, o Ministério Público da Bahia (MP-BA) encaminhou ofícios à Secretaria de Saúde do Estado (Sesab) e Secretaria Municipal de Saúde (SMS) para solicitar informações sobre a possibilidade de reativação e abertura de hospitais de campanha. O MP deve se posicionar sobre o assunto até segunda-feira (1º), segundo a promotora Rita Tourinho, integrante do Grupo de Trabalho que acompanha as ações de enfrentamento ao novo coronavírus.

Faça um comentário
Advertisement

publicidade

Advertisement

politica

AS MAIS LIDAS DA SEMANA

error: Copyright © - Grupo Fala Cajazeiras ®