Connect with us

POLÍTICA

Bolsonaro assina carta de desfiliação do PSL

Published

on

Sérgio Lima/ Poder360

O presidente Jair Bolsonaro assinou nesta 3ª feira (19.nov.2019) o pedido de desfiliação do PSL. De acordo com a advogada dele, Karina Kufa, o protocolo formal com a solicitação de Bolsonaro deve ser apresentado ainda nesta 3ª ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A afirmação foi feita aos jornalistas que estavam no Palácio do Planalto após reunião de Kufa e do advogado Admar Gonzaga com o presidente.

Kufa também disse que a coleta de assinaturas para validar o partido que Bolsonaro quer criar –o Aliança pelo Brasil– “não causa preocupação”, seja por meio digital ou físico.

“Com a popularidade do presidente Bolsonaro, sem dúvida alguma conseguimos registrar esse partido antes do tempo das eleições municipais”, afirmou.

Já Admar Gonzaga afirmou que existe uma “avalanche de apoiamentos” de pessoas que querem se engajar com a criação do Aliança. Mas ressaltou: “Nem tudo depende de nós”. 

Gonzaga disse que há “meios para fazer o partido em menos de 140 dias”, que é o tempo necessário para que o Aliança fique apto a concorrer na eleição municipal de 2020. Acrescentou: “Eu mesmo já fiz 1 partido em 190 dias com muito menos recursos do que o apoio magnífico que tem o presidente da República”.

Os advogados afirmaram ainda que não há impedimento legal se Bolsonaro desejar ser presidente da nova legenda, acumulando com a Presidência da República. No entanto, não cravaram se isso acontecerá.

“Essas questões serão anunciadas na 5ª feira (21.nov)”, disse Kufa, em referência ao evento que marcará o lançamento oficial do Aliança. É nessa data também que serão anunciados o programa e o estatuto da nova sigla.

BIVAR MANTÉM COMANDO DO PSL

Enquanto Bolsonaro se reunia com seus advogados, o presidente do PSL, deputado Luciano Bivar (PE), era reeleito para o comando da sigla. Houve convenção nacional do partido, que definiu a composição da sigla. Nada mudou, a não ser o deputado Júnior Bozzella (PSL-SP) ter assumido a vice-presidência. O cargo estava vago desde a saída do ex-ministro Gustavo Bebianno (Secretaria Geral).

De acordo com o senador Major Olímpio, a eleição da nova Executiva “fortalece a estrutura do partido e de todas as suas formalidades com o TSE [Tribunal Superior Eleitoral]”.

O racha no PSL ficou explícito depois de Bolsonaro afirmar a 1 correligionário no Palácio da Alvorada –residência oficial da Presidência– que Bivar estava “queimado para caramba” em seu Estado, Pernambuco. O presidente e seus apoiadores afirmam que “falta transparência” na sigla.

Major Olímpio disse nesta 3ª feira que foram disponibilizadas “todas as formas das contas do partido no TSE”. “O que precisar consultar, até especificamente o tipo de nota fiscal, está sendo disponibilizado. Então, isso dá uma tranquilidade para o partido tocar o dia a dia”, afirmou o senador a jornalistas que aguardavam o fim da convenção no lado de fora do local, em Brasília.

A eleição da Executiva tem sido feita a cada 2 anos. Nesta 3ª feira, houve chapa única. Ou seja, os membros do PSL poderiam votar na chapa ou em branco. Porém ampla maioria apoiou a reeleição de Bivar.

 

informações do Poder360

Faça um comentário

O maior Portal de Notícias e Entretenimento de Cajazeiras e região. O que você gostaria de saber "A gente mostra todo mundo vê"

Publicidade:

Advertisement

politica

Cajazeiras e Região